quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

ROTEIRO PARA CURTA METRAGEM

A função do roteirista varia bastante de acordo com o tipo de filme produzido. Normalmente o primeiro passo de um roteiro é a descrição da ação da história simplificada, em uma ou duas páginas, chamado "STORY-LINE".
Ter uma boa ideia é apenas a ponta do iceberg de um processo que exige muito esforço e insistência. O ato de escrever é um hábito que requer muito treino, dedicação e paciência.
Um roteiro é uma história contada com imagens, expressas dramaticamente em uma estrutura definida, com início, meio e fim, não necessariamente nessa ordem.
Se, ao lermos um roteiro e não conseguimos visualizar a cena, certamente ele tem problemas. Um bom roteiro contribui para que o filme seja preparado de modo mais adequado, poupando tempo, pois tem que ser bem descritivo.
Um roteiro bem formatado, deve ter as cenas bem pontuadas, assim como suas mudanças; que o conteúdo visual esteja cuidadosamente descrito; que seja fácil de ler, em espaço duplo, sem rasuras e correção, e com todas as páginas numeradas.
Normalmente, os filmes de maior sucesso de público obedecem a uma estrutura dramática que ele, o público, tem facilidade de acompanhar.
Nos primeiros minutos do filme de curta metragem, descobrimos sobre o que é a história, suas circunstâncias dramáticas, quem são os seus personagens e o que eles fazem.
Esta é a fase em que o nosso herói está no seu ambiente natural, até que alguma coisa o impele a caminhar em direção à aventura, ou seja, a fase em que ele tem de tomar uma decisão e enfrentar a situação que vai modificar sua vida.
Em um determinado ponto, serão encontrados os obstáculos que impedem o nosso personagem de atingir os seus objetivos, o que o leva a uma confrontação. Esse vai ser o desenrolar do curta.
Perto do final da confrontação, novamente algo deve acontecer que levará a nossa história para o final. Conseguirá o nosso personagem atingir os seus objetivos? A história termina com um happy end. O nosso personagem morre no fim? Essa parte da história pode ser contada até depois que os créditos subiram, para dar mais dinâmica ao filme.
Não existe dramaticidade em uma história sem conflitos, mesmo as comédias. São os conflitos que impulsionam a história, e a resolução deles é que prende a atenção do espectador.

FOTO DO CURTA METRAGEM
ALBERICO PROCURA
PRÊMIO DE MELHOR ROTEIRO no I Universo Olhar Digital/2006/ Juiz de Fora/MG
MENÇÃO ESPECIAL no II Festival Curta TrÊs Rios/2006/Três Rios/RJ

3 comentários:

Anônimo disse...

Oi. Tenho um roteiro de curta para animação. Como posso encontrar alguém que queira produzir?
Abraços

ANIMAÇÕES disse...

quem é vc?
deixe algum contato em meu email:
cacinho@agentequefez.com.br

leonardo Alves Ferreira disse...

oi! conheci teu blog atravez de um conhecido seu fernando, http://www.blogger.com/profile/02222702607785525616

vc tem uma produtora de animação?
está produzindo algo?
estou fazendo uma animação se quiser conhecer passa no meu blog, valeu!!