terça-feira, 2 de março de 2010

A HISTÓRIA DE JOÃO DAS ALFACES e RECICLANDO IDÉIAS, selecionados no I FESTIVAL DE CINEMA DE RIBEIRÃO PIRES/SP- que acontece entre os dias 23 de abril a 08 de maio de 2010.

O festival de Ribeirão torna-se promissor para todo o Grande ABC. Apresenta-se como uma vitrine que deve servir de incentivo para a produção local. O tema desta primeira edição é Um Novo Olhar, que, segundo os organizadores, pretende provocar no público uma reflexão. "Seria um novo olhar sobre nós mesmos, sobre o que fazemos e o que será exibido", diz o diretor do evento, Emerson Muzeli.
O tema deste primeiro festival é Um Novo Olhar. A escolha foi feita com o intuito de fazer com que todos os envolvidos e o futuro público observem o mundo e o cinema de forma diferenciada. "Seria um novo olhar sobre nós mesmos, sobre o que fazemos e o que será exibido. O novo olhar é não tentar definir o festival, que será uma constante mutação de várias coisas em favor do cinema".
As atividades começam no dia 21 e seguem até 8 de maio. Durante as três semanas, o projeto segue em três frentes: a mostra popular, a escolar e a competitiva.
A primeira irá exibir gratuitamente longas-metragens nacionais em sessões abertas ao público no Paço Municipal. No espaço, serão disponibilizadas 600 cadeiras, além do público estimado de 4.000 pessoas poder se espalhar pelo local. As projeções ocorrerão todos os domingos, com os filmes sendo apresentados pelo ator protagonista. A programação conta com títulos que marcaram os últimos dez anos do cinema brasileiro, casos de Bicho de Sete Cabeças (2001), Cidade de Deus (2002), Deus é Brasileiro (2003) e Bezerra de Menezes: O Diário de Um Espírito (2008).
Escolar e competitiva - A mostra escolar é destinada para que alunos de colégios locais possam conhecer mais sobre o mundo do cinema. As sessões, que começam no dia 22, ocorrem no Teatro Euclides Menato, com capacidade para 200 pessoas. Será uma exibição pela manhã e outra no período da tarde. À noite, o público adulto poderá escolher filmes com aspecto mais ligados ao conceito de festival e sem o apelo popularesco.

MOSTRA COMPETITIVA
A partir do dia 3 de maio, será iniciada a mostra competitiva. Do total de 300 curtas-metragens inscritos de diversos locais do Brasil, 160 foram selecionados para o festival. "O grande barato deste momento será falar exclusivamente de cinema", diz Muzeli. O festival contará com a presença de diretores e representantes dos filmes.
As produções terão exibições em dois locais distintos. Um deles é o espaço do Teatro Euclides Menato, que passará a ser chamado de Sala Carlos Vereza de Cinema, em relação ao grande homenageado do festival, o veterano ator Carlos Vereza. As outras sessões ocorrerão em uma espécie de sala circulante, com a ideia de que ela seja em uma tenda e que esteja em um local diferente da cidade a cada semana.
"Na competição, o que chama a atenção é a diversidade dos competidores. Temos grande variedade de documentários e animações. Começamos a assistir a esses filmes e não conseguimos parar, pois todos são únicos. E temos muita gente nova", comenta o organizador.

(fonte: DIÁRIO DO GRANDE ABC)

4 comentários:

Tatiana disse...

Cacinho... Desde já estou na torcida pelo sucesso de seu projeto!

Um abraço carinhoso

tossan disse...

Cacinho...Você é um gênio! Vou contigo nessa! Abraço

Sanzinha disse...

Estamos torcendo!

Beijão!

Tatiana disse...

cacinho...Considero o dia das mulheres todos os dias em que ela acorda... Mas hoje em especial desejo que seja um dia maravilhoso para todas as mulheres de sua vida!

Um beijo carinhoso